Conheça diferentes tipos de piso e saiba qual o melhor para sua casa

Você está construindo ou reformando e não sabe como escolher o melhor piso para sua casa? Os tipos de piso hoje são muitos: porcelanato, cerâmica, laminados, piso vinílico, resina e ainda os mais tradicionais tacos, assoalhos, pastilhas e ladrilho hidráulico. Muitos deles, inclusive, são ecologicamente corretos. Para ajudar a escolher o melhor piso para seu ambiente, pegamos várias dicas e informações com a designer de interiores Maíra Turci, do Archinside.

Como pendurar quadros na parede? 12 ideias muito originais
O certo e o errado na hora de colocar cortinas
+ Você precisa se livrar dessas 12 coisas do seu armário
Como fazer seu apartamento pequeno parecer maior usando apenas quadros

PISO PORCELANATO

O porcelanato é composto com 70% de materiais rochosos. “Sua durabilidade e resistência é muito maior, pois ele é queimado em uma temperatura de 1.200°C. E quanto maior a temperatura de combustão, maior sua resistência”, explica Maíra. “A variedade do porcelanato é tão grande que encontramos desde modelos simples e lisos até os que imitam mármores e madeiras.”

PORCELANATO COM BORDA RETIFICADA

As peças retificadas são cortadas em discos de diamante, o que as deixam com as bordas retas, fazendo com que sua junta de dilatação seja muito menor, o que deixará seu ambiente mais regular, com ar clean e sofisticado, além do acúmulo de sujeira no rejunte ser muito menor.

PORCELANATO COM BORDA BOLEADA (BOLD)

As bordas desse tipo de piso são arredondadas, boleadas; sua junta de dilatação normalmente é de 0,03mm, esse tipo de piso é indicado para quem não quer uma uniformidade no piso. Tanto seu valor de compra quanto o de instalação costumam ser mais baratos que os pisos retificados.

PORCELANATO POLIDO OU TÉCNICO

Tem brilho intenso. Por ser muito liso, não é indicado para áreas úmidas ou molhadas; por segurança, o porcelanato polido deve ser usado para áreas internas e secas. A maioria dos fabricantes aplica camadas protetoras sobre o piso, chamadas de gloss e supergloss, que garantem mais brilho e evitam possíveis arranhões e manchas.

PORCELANATO ACETINADO

É um porcelanato com pouco brilho, e sua resistência é melhor do que a do porcelanato polido. A possibilidade de riscar e manchar é menor que a do polido e, por ser menos liso, pode ser utilizado em áreas úmidas.

PORCELANATO ESMALTADO

Esse porcelanato recebe uma camada de esmalte por cima do revestimento (comum em cerâmicas frias). Por ser esmaltado, é possível encontrar esse porcelanato liso, áspero, brilhante ou mate. De acordo com sua regulamentação PEI (Porcelain Enamel Institute), pode ser usado em diversos ambientes:

  • PEI 1 – Baixa: quartos e banheiros residenciais como lavabos, onde se usa chinelos ou pés descalços (não são recomendadas para ambientes que exigem limpeza pesada e constante);
  • PEI 2 – Média: podem ser utilizadas em ambientes residenciais onde geralmente caminha-se com sapatos, exceto em cozinhas e entradas;
  • PEI 3 – Média/Alta: ambientes internos residenciais como cozinhas, corredores, halls, sacadas e quintais. Não devem ser utilizadas em locais que tenham areia ou outros materiais mais duros que esta, como sujeira abrasiva;
  • PEI 4 – Alta: resiste ao alto tráfego e pode ser utilizado tanto em áreas internas como externas: residências, garagens, escritórios, restaurantes, lojas, bancos, entradas, caminhos preferenciais, vendas e exposições abertas ao público e outras dependências.
  • PEI 5 – Altíssimo (e sem manchas após abrasão): Este piso é ideal para áreas externas. Pode ser utilizado em residências, áreas públicas, shoppings, aeroportos, padarias e fast-foods.

PISO DE CERÂMICA

A cerâmica é composta com 70% de argila, e sua queima é feita em uma temperatura de 850°C, o que o torna uma produto com menor durabilidade e resistência em comparação ao porcelanato, além de ser menos versátil, conforme explica a designer. 

PISO LAMINADO

Os laminados são compostos por aglomerados, e sua camada superior é protegida por uma resina melamínica. A maior parte dos fabricantes utiliza madeiras de reflorestamento e possui certificados, por isso é considerado um piso ecologicamente correto. “É indicado somente para áreas internas e secas, pois seu contato com a água e o sol danificam as peças”, diz Maíra. 

PISO VINÍLICO

O piso vinílico é composto de PVC, cargas minerais e plastificantes, recebe uma resina de poliuretano, o que o protege mais de manchas. Pode vir em manta, réguas ou placas. Sua instalação é bem simples: dependendo do modelo adquirido, pode ser feita com cola ou click. “Mas, para uma instalação perfeita, o contrapiso deve ter sido muito bem executado, sem imperfeições”, conta a designer de interiores. Esse tipo de piso é indicado para áreas internas, uma vez que pode desbotar ao sol, e não é indicado para áreas molhadas. É um piso com ótima acústica, antialérgico e ajuda a manter a temperatura do ambiente.

TACOS E ASSOALHOS

Os tacos foram muito utilizados nos anos 60 e 70 e, hoje em dia, se tornaram uma opção de piso mais nobre por ser feito de madeira maciça. É um produto mais sensível e que requer maiores cuidados, por conta de sol, água e riscos.

+ 5 modas antiguinhas que voltaram com tudo para decorar sua cozinha

LADRILHO HIDRÁULICO

 

 

O ladrilho hidráulico é de produção artesanal, feito à base de cimento e que recebe pigmentações diversas. Tem ótima durabilidade e pode ser utilizado em áreas externas e internas – não há restrições. Para alguns casos é necessário uma atenção maior, utilizando um hidrofugante para ladrilhos ou verniz de poliuretano.

PISO OU RESINA EPÓXI

É um piso impermeável, resistente e com ótima durabilidade. A resina pode ser fosca ou brilhante e é possível fazer desenhos no piso. Pode ser instalada no contrapiso ou até mesmo sobre o porcelanato existente. A resina não mancha nem trinca, mas ela precisa de uma atenção especial por conta de riscos. Não é aconselhável o uso externo sem que receba algum tipo de antiderrapante.

PASTILHAS

“Hoje, no mercado, existem diferentes tipos de pastilhas, como de vidro, coco, fibra, madrepérola, inox, porcelana e também temos pastilhas 100% recicladas, feitas com garrafas PET”, conta Maíra. Elas podem ser quadradas, retangulares, arredondadas, suas cores e formatos são variáveis.

Como são materiais resistentes, podem ser usadas em fachadas externas, piso, paredes, piscinas, áreas internas ou externas, revestimentos em bancadas e até mesmo em objetos de decoração (vasos, bandejas, copos, etc.). 

Reforma transforma apartamento de 100 m²; veja antes e depois
+ 50 piscinas de tirar o fôlego



arrow