3 erros que você não pode cometer ao decorar sua casa com quadros -

3 erros que você não pode cometer ao decorar sua casa com quadros

Obras: Dark Or Light, por Pedro de Abreu Libanio / Black Butterfly, por dada22 / Abacaxi Dourado, por Costa / Brise Tape Gold, por Daniel Perfeito / Believe In Yourself – Be You, por Elisabeth Fredriksson | Divulgação: Urban Arts

Os quadros são capazes de encher a casa de vida e personalidade, além de possibilitar uma infinidade de composições e opções para a parede.

Entretanto, para que o efeito desejado com os quadros na decoração seja alcançado, é importante que alguns erros comuns sejam evitados. Confira:

Obras: Dark Or Light, por Pedro de Abreu Libanio / Black Butterfly, por dada22 / Abacaxi Dourado, por Costa / Brise Tape Gold, por Daniel Perfeito / Believe In Yourself – Be You, por Elisabeth Fredriksson | Divulgação: Urban Arts
Obras: Dark Or Light, por Pedro de Abreu Libanio / Black Butterfly, por dada22 / Abacaxi Dourado, por Costa / Brise Tape Gold, por Daniel Perfeito / Believe In Yourself – Be You, por Elisabeth Fredriksson | Divulgação: Urban Arts
1. Errar a posição dos quadros na parede

Antes de mais nada, é preciso observar o local em que o quadro será encaixado, ou seja, se abaixo da obra haverá um móvel, se ela será pendurada em composição com outras peças ou sozinha e, principalmente, a altura dela em relação ao chão.

Se o quadro for pendurado, o mais indicado é posicioná-lo na altura dos olhos (com o centro a cerca de 1,60 m do chão). Além disso, se ele for colocado acima de um móvel como o sofá, por exemplo, é importante que haja, ao menos, 50 cm entre os dois.

Veja também:

Também é fundamental levar em conta o tamanho e o formato da arte que você utilizará para evitar que o projeto fique sem harmonia. Se o local for pequeno, pode ser o caso de utilizar apenas um quadro, em caso contrário, uma composição com mais de duas artes pode oferecer o equilíbrio necessário.

Outra dica é utilizar a “regra dos 3/4”: ao criar uma composição, é importante que a área ocupada por ela seja equivalente a dois terços da largura do móvel. Em um sofá com dois metros, por exemplo, a composição acima dele deve ter até 1,30m.

2. Escolher uma arte sem levar em conta o estilo da decoração

A casa já foi decorada, o lugar para posicionar o quadro já foi definido e a obra já foi escolhida, mas, na hora de colocar tudo em seu devido lugar, um detalhe ficou diferente do imaginado: a arte não combinou com o seu estilo de decoração.

Para evitar isso, é muito importante levar em conta, na hora de escolher o seu quadro, a proposta da decoração do ambiente. Por exemplo, artes geométricas trazem um ar mais moderno e contemporâneo, já fotografias de natureza são capazes de trazer boas lembranças e são ideais para projetos que prezam pela contemplação e aconchego.

Nem por isso é necessário se prender a somente um estilo de obra, afinal, com uma dose de equilíbrio, também é possível abraçar dois estilos na mesma composição.

Obras: She 9 H da Helo e She 9 G da Helo, por Helo Moraes | Foto: Divulgação: Urban Arts
3. Desconsiderar a paleta de cores do projeto

Além do estilo, as tonalidades presentes na obra devem guiar a escolha e, para isso, um truque é observar as cores e acabamentos presentes nos móveis grandes, para depois tentar notar quais delas se destacam no ambiente.

Um quadro colorido e vibrante, por exemplo, pode se tornar um ponto de destaque e, até mesmo, ser capaz de equilibrar a decoração em um ambiente com o aspecto muito “frio” e sem vida. Já onde o bege ou o tom claro da madeira predominam, uma alternativa pode ser incluir quadros em tons terrosos, rosáceos e verdes.

Por fim, outro erro comum é escolher quadros com uma arte que tenha um fundo da mesma cor da parede. Nesses casos, evite a obra ou selecione uma moldura que se destaque no projeto para corrigir.

Veja também:

Fique por dentro de nossas notícias na página do DecorStyle no Facebook ou no nosso site www.decorstyle.ig.com.br






arrow