Não há nada como uma torre para significar que uma cidade realmente é bem sucedida. Da torre Eiffel, homônima de Gustav Eiffel, em Paris, ao Space Needle de Seattle, plataformas de observação superaltas podem definir um horizonte e atrair turistas.

Mas no distrito de Quanhai de Shenzhen, na China, o arquiteto japonês Sou Fujimoto está perguntando: ‘como uma torre pode evoluir enquanto a atrai atenção?’.

A resposta? Desfocando a linha com escultura e simbolismo.
Imagens: Sou Fujimoto Architects

A proposta do Sou Fujimoto Architects, com 270 metros de altura, é uma ilha fantasmagórica “flutuante” à beira-mar, composta por 99 torres individuais. Os componentes singulares terão pontos de contato mínimos, para criar a ilusão de que estão flutuando acima do porto enquanto imitam a aparência de uma cachoeira com nuvens de névoa.

Veja também:

Quando vista de cima, a plataforma do Qianhai New City Centre Landmark parece um rolo de filme de ficção científica com raios futuristas saindo de um núcleo central que abriga o restaurante e café da torre, e passagens ao redor do perímetro da plataforma. A torre é suportada por um núcleo centralizado, com cabos de tensão periféricos estabilizando o design. Confira as imagens:

Imagens: Sou Fujimoto Architects

Veja também:

Fique por dentro de nossas notícias na página do DecorStyle no Facebook ou no nosso site www.decorstyle.ig.com.br