Seja para aproveitar as férias de verão ou os finais de semana na companhia de familiares e amigos, um dos maiores desejos dos proprietários é ter uma casa com piscina para chamar de sua. E esse desejo é vigoroso independentemente do endereço: a residência que se configura como endereço principal ou o refúgio de campo ou na praia.

Veja também:

Diante da necessidade de ampliarmos o nosso tempo em casa – que teve início em 2020 e se prolonga pelo momento atual –, o lar adquiriu uma dimensão muito maior em nossas vidas. “Além do descanso, alimentação e relaxamento, o lazer, mais do que nunca, deverá se fazer presente nos projetos. Nesse quesito, a felicidade proporcionada pela combinação da casa com piscina pode ser vivenciada tanto por uma pessoa sozinha, como também acompanhada por seu núcleo de relacionamento mais próximo”, afirma a arquiteta Patricia Penna.

1)    Projeto e planejamento

A arquiteta Patricia Penna reforça que a primeira ação é compreender as expectativas do proprietário do imóvel. “Para o bom desenvolvimento do projeto, precisamos compreender os anseios do cliente, pois trata-se do planejamento do setor de lazer da residência – vai além da piscina, em si”, explicaA partir daí, já é possível avaliar os custos, grau de complexidade e tempo de execução, da obra.

2)    Dimensões e localização

Na piscina dessa casa projetada Patricia Penna, as dimensões propiciam a prática da natação. Para o lazer dos moradores, espreguiçadeiras e mesa, protegida por um ombrelone, foram posicionadas no seu entorno | Foto: Leandro Moraes

Depois do briefing, é hora de dar início aos estudos de projeto, avaliando local de implantação da piscina, bem como dimensões, acessos, e tudo o que concerne ao setor de lazer.

De acordo com Patrícia, uma piscina precisa ter no mínimo dimensões entre 3 a 3,50m de comprimento x 2,50m de largura. Caso os moradores desejem praticar natação, algo bastante comum, esses números mudam consideravelmente: entre 15m e 20m de comprimento com largura mínima de 2,5m. “Quando a área externa da casa é pequena, costumamos sugerir outras opções de imersão aquática como ofurôs e spas”, relata a arquiteta.

Independentemente das dimensões da piscina –  grande ou pequena, larga ou apenas uma raia – existe uma grande liberdade (ainda que convenções) quanto ao formato da piscina. “Desenhos com linhas orgânicas voltam a atrair os clientes e se adequam super bem em vários estilos de residências”, conta.

3) Segurança

Se a segurança, por si só, já deve nortear o projeto como um todo, a atenção deve ser redobrada em famílias com crianças. Os materiais que contribuem para esses cuidados vão desde pisos antiderrapantes para o entorno da piscina, a como barreiras removíveis e capas de proteção.

A arquiteta ainda sinaliza a importância de um trecho mais raso: a “prainha”, para facilitar o acesso à piscina, bem como criar uma área mais segura para a diversão das crianças e também local de contemplação e relaxamento, para os adultos.

A responsabilidade no projeto também engloba a instalação de ralos e saídas de água com proteção anti sucção, além de inspeções e manutenções periódicas. “Vale ressaltar que o uso, por lei, é obrigatório para evitar acidentes trágicos”, relata a arquiteta.

O que não pode faltar em uma área externa de lazer com piscina?

Não podem faltar elementos que facilitem e complementem os momentos de lazer! Espreguiçadeiras, poltronas confortáveis, mesas de apoio, ombrelone, além de um facilitado acesso ao setor de serviços, pois o fluxo cozinha/área de serviço/lazer é, normalmente, bastante intenso. Além disso, é ideal que o mobiliário seja resistente às intempéries, próprios para áreas externas.

No sentido de projetar não apenas uma piscina, mas sim o “setor de lazer”, é natural  associar a piscina, a uma varanda gourmet, com infraestrutura de cozinha – fogão, geladeira, churrasqueira, forno, e quaisquer outros eletrodomésticos que o cliente deseje, como máquina de gelo, gaveta aquecida, refrigerada, cervejeira, etc. A cozinha de apoio ao “lazer” é super interessante pois evita o acesso ao interior da residência, facilitando o fluxo do lazer, e evitando possíveis acidentes ou estragos.

Veja também:

Por fim, um elemento imprescindível em qualquer setor de lazer, é um bom paisagismo! Em espaços menores ele pode ser feito com vasos, ou canteiros, e em áreas maiores com um lindo gramado, um bom projeto paisagístico faz muita diferença! “O paisagismo engrandece e arremata o projeto. Agrada ao olhar e proporciona a sensação de estar conectado à natureza, contribuindo muito para o bem-estar almejado por todos”, diz Patricia.

Em ambas as imagens, um dos grandes destaques da área externa é o paisagismo. Para a arquiteta, o verde da natureza é o melhor amigo de uma área externa com piscina |Fotos: Leandro Moraes

Tendências, novas tecnologias e acabamentos: quais as novidades em piscinas?

No tocante aos revestimentos, fica no passado o protagonismo das pastilhas azuis para dar lugar aos revestimentos naturais como a pedra Hijau e opções produzidas em alta definição, que propiciam o aspecto natural das pedras naturais.

As famosas ‘prainhas’ – área rasa da piscina que possibilita a colocação das espreguiçadeiras dentro d’água –, figuram-se na lista das tendências mais solicitadas pelos futuros donos de piscinas.

Por fim, como a piscina também tem o seu brilho durante à noite, a iluminação possibilita criar uma cena de luzes com os sistemas de automação existentes no mercado. “Tudo pode ser controlado, inclusive, pelo smartphone”, finaliza a arquiteta.

Para Patricia Penna, independente do estilo do projeto, o maior destaque de em uma área externa com piscina é o conforto |Fotos: Leandro Moraes

Fique por dentro de nossas notícias na página do DecorStyle no Facebook ou no nosso site  www.decorstyle.ig.com.br