Decoração estilo escandinavo: 7 dicas para adotar em casa

Decoração estilo escandinavo: 7 dicas para adotar em casa

Você sabe o que é o estilo escandinavo, que se tornou tendência absoluta nos últimos anos? Ele é marcado por minimalismo, organização, tons neutros, linhas retas, uso de madeira e, acima de tudo, conforto. As profissionais Fernanda Angelo e Elisa Meirelles, do Estúdio Cipó, mostram as características dessa tendência elegante e ensinam a adotar a decoração escandinava em sua casa.

Decoração industrial: arquiteta ensina a aplicar o estilo em 7 passos
Bagunça na sala? Organize (ou esconda) com 15 dicas de decoração
Qual é o seu estilo de decoração? Veja 5 e o que mais combina com você

O minimalismo, muito presente no escandinavo, é a arte do “menos é mais”. Quem escolhe esta tendência, procura uma forma mais natural e descomplicada de decoração. Um mobiliário funcional, que supra as necessidades dos moradores e que se adapte às mudanças é suficiente, evitando os enfeites. Além do mais, o estilo corrobora para uma composição visualmente equilibrada, trazendo a sensação de limpeza e organização.

Como surgiu a decoração escandinava?

Surgido no início do século XX nas regiões mais frias da Europa, ele se baseia nas características dos artesãos da Escandinávia, região que abrange Suécia, Noruega, Finlândia e Dinamarca. O resultado do encontro entre um mobiliário orgânico e rústico com as cores neutras funciona perfeitamente mesmo nas decorações mais modernas.

Como decorar no estilo escandinavo?

A arquiteta Fernanda Angelo e a designer de interiores Elisa Meirelles, do Estúdio Cipó, reuniram dicas importantes sobre o estilo escandinavo.

1) Tons neutros:

Dormitório de casal em estilo escandinavo e tons neutros/Projeto: Estúdio Cipó/Foto: Julia Ribeiro

O inverno prolongado e rigoroso influenciou a maior parte do estilo escandinavo. A paleta de cores, que vai do bege ao cinza com destaque para o branco, está ligada aos dias com muitas horas de escuridão no norte da Europa. As superfícies, assim como todo o mobiliário, são confeccionadas em tons neutros, fornecendo uma percepção de tranquilidade e leveza, além de auxiliar em uma melhor iluminação dos cômodos.

As tonalidades pastel, como as candy colors, ou marcantes, como azul, vermelho queimado e verde acinzentado, podem ser aplicados em peças isoladas, sobressaindo na decoração. É possível brincar com as texturas e estampas em almofadas, tapetes, vasos, quadros, entre outros. “Dessa forma, há uma quebra na neutralidade do ambiente de uma maneira elegante e atemporal”, conta Fernanda Angelo.

Cozinha branca já era! 6 cores tendência em 2020 para armário da cozinha

2) Iluminação:

As colorações neutras ajudam a deixar os espaços mais claros, porém este não é o único recurso utilizado. As janelas largas e amplas facilitam a entrada de luz natural – junto com as paredes claras e o mobiliário de madeira, a combinação deixa a iluminação mais efetiva.

Janelas amplas no projeto compõem também o estilo escandinava. Projeto: Estúdio Cipó/Foto: Lauro Rocha

Pensando no estilo para o Brasil, as aberturas posicionadas em ambientes espaçosos proporcionam leveza e serenidade. “O resultado é uma ambientação agradável, confortável, simples e tranquila”, diz Fernanda.

3) Materiais:

Madeira escolhida para a cabeceira da cama/ Projeto: Estúdio Cipó/Foto: FotoEstúdio360

A madeira em tons claros é outro destaque do escandinavo. Por trazer aconchego e conforto, o material está presente tanto no piso quando nos móveis. “No quarto, por exemplo, a madeira pode ser posicionada na cabeceira da cama e no criado-mudo. Considero o carvalho americano e o pinus os tipos ideais de madeira”, relata Elisa Meireles.

Além disso, o toque rústico e natural é marcante em todos os ambientes escandinavos. Nos estofados, os tecidos preferidos são linho, algodão e lã, pois são de origem artesanal.

4) Revestimentos:

O design escandinavo pede atenção aos detalhes, afinal os elementos são aplicados do inicio ao fim do projeto. “Por consequência, o revestimento mais utilizado é o tijolinho, tanto pintado de branco, como o natural em marrom, dando um ar mais campestre”, conta a arquiteta Fernanda.

Parede de tijolos pintados de branco no corredor da residência projetada pelo Estúdio Cipó/ Foto: FotoEstúdio360

Conheça diferentes tipos de piso e saiba qual o melhor para sua casa

5) Mantas e tapetes:

Tapete felpudo na sala/Projeto: Estúdio Cipó/Foto: Julia Ribeiro

Remetendo mais uma vez ao clima frio das regiões de origem do estilo escandinavo, os tapetes de pelos trazem o calor para qualquer ambiente. Associado à madeira, a peça transforma o cômodo em confortável e agradável.

A manta, por sua vez, que se tornou tendência nesse inverno, também aparece em cima da cama ou até mesmo servindo de ornamento no sofá e nas cadeiras. “Lembrando que os tons neutros também estão presentes nesses itens de decoração”, alerta Elisa.

Veja como um tapete deixa sua sala de jantar o máximo
Mude a cara da sua casa com apenas um tapete na parede

Manta na decoração/Projeto: Estúdio Cipó/Foto: Julia Ribeiro

6) Plantas:

Por estar conectado com os componentes naturais, incluir as plantas no décor combina perfeitamente com o estilo escandinavo. Seja na sala, em cima da estante, em pendentes na varanda ou, até mesmo, no banheiro, elas se destacam.

7 plantas lindas que repelem mosquitos e insetos naturalmente
+ Você pode ter plantas no quarto, sim! Veja como ter verde no dormitório

No meio das cores mais claras, as espécies funcionam como pontos coloridos estratégicos. O importante, ao optar por usá-las, é pesquisar quais os melhores tipos de plantas para cada ambiente do imóvel. O lírio da paz, violeta e o cacto são algumas das recomendações do Estúdio Cipó.

Plantas dão vida aos ambientes/Projeto: Danilo Hidki e Estúdio Cipó/Foto: Julia Ribeiro

7) Estilo escandinavo original e o brasileiro:

Apesar das inúmeras semelhanças, o design escandinavo passou por adaptações ao chegar no Brasil. Além da diferença de clima, a decoração sofreu mudanças para se adaptar à cultura brasileira. O primeiro aspecto alterado foi o desenho e posição dos quadros nos espaços. “No estilo original europeu, os quadros escolhidos para ornar esses ambientes são feitos em moldura fina com artes minimalistas e abstratas”, relatam as profissionais. Ao invés de serem apoiados soltos nos móveis, eles são fixados nas paredes.

Quadros no estilo original/Foto: Banco de imagem

Quadros no estilo adaptado/Projeto: Estúdio Cipó/Foto: Lauro Rocha

Outro aspecto importante a ser destacado diz respeito ao uso de tecidos com pele de animal ou a imitação deles em almofadas e tapetes. Originalmente, eles eram comuns, principalmente para aquecer nos dias mais frios. Porém, no clima de verão mais intenso, esses materiais caíram em desuso.




arrow