Hoje em dia é essencial ter um espaço confortável para trabalhar em casa. Seja para quem aderiu 100% ao home office, ou para aqueles que realizam um sistema híbrido – ou seja, dividido entre o lar e o escritório, o fato é que todos passaram a se preocupar com os seus novos cantinhos de trabalho.

Nos últimos dois anos, a maioria dos imóveis passou por reformulações no sentidode se adaptar a demanda de home office e, coube aos arquitetos e designers encontrarem formas criativas de incluir esse ambiente nos projetos.

Veja também:

Para contribuir na montagem ou melhoria desse espaço, que também pode ser utilizado para os estudos, listamos recomendações de como iluminar corretamente o home office. Afinal, a escolha das luzes corretas interfere totalmente na qualidade do trabalho e de vida, na concentração e rendimento no dia a dia. Confira!

Praticidade: luminárias de mesa nos modelos articulável e dobrável | Foto1: Projeto da arquiteta Carmem Avila com foto de Emerson Rodrigues | Foto 2: Imagem de Luis Gomes
As queridinhas

As luminárias de mesa continuam muito procuradas para integrar o cantinho de trabalho. Além de charmosas e disponíveis nos mais variados estilos, essas peças de apoio também são portáteis e funcionais, afinal basta conectá-las na tomada para poder usá-las!

Os modelos flexíveis ou dobráveis proporcionam ainda mais conforto visual para os usuários, sendo bem-vindos em todos os lugares da casa, ou até mesmo para levar ao escritório, para quem trabalha de forma híbrida. Elas devem ser colocadas atrás ou ao lado dos monitores e mesas de trabalho (sempre com uma distância mínima), para evitar reflexos e ofuscamentos.

Luminárias de mesa dobráveis | Foto de Luis Gomes/ Divulgação: Yamamura
Iluminando todo o espaço

O home office também conta com outras peças de iluminação importantes. Além das luminárias centrais, que realizam a iluminação principal do ambiente – caso de plafons, trilhos com spots, lustres e pendentes maiores (ou também, pendentes lineares acima da mesa de trabalho, com distância de 70 cm a 90 cm do tampo), outros modelos de iluminação de apoio também são muito bem-vindos para essas atividades de trabalho e estudo, em razão de complementarem a luminosidade em pontos específicos.

Veja também:

Entre os exemplos das peças de apoio são: pendentes menores (que também devem ficar atrás ou ao lado dos monitores); luminárias de piso ou arandelas (localizadas ao lado de sofás, poltronas ou mesinhas laterais especialmente para leitura); spots para iluminar a circulação; perfis ou fitas de LED embutidos nos mobiliários. O tamanho do cômodo, assim como o gosto do morador, vai determinar a quantidade de pontos de luz e a localização de cada um deles.

Trilhos com spots direcionáveis e fitas de led na marcenaria compõem a iluminação deste quarto, que podem ser usados para trabalho ou estudos | Projeto de Luciana Ballio e fotos de Emerson Rodrigues
Temperatura de cor

A temperatura de cor mais indicada para trabalho e estudos é a neutra (4000K), pois estimula a concentração. No entanto, a flexibilização também é bem importante! Dessa forma, a combinação entre luz neutra para a iluminação geral e luz quente (2700K a 3000K) para alguns pontos de apoio (como abajures e arandelas de canto), também pode trazer um clima descontraído, interessante para estimular a criatividade. Isso também é válido para a mescla de efeitos de luz direta e indireta, o que valoriza ainda mais o ambiente.

Luminárias de mesa repletas de design e sofisticação | Projetos do arquiteto Emerson Basso e da designer Eliana Franco, com fotos de Emerson Rodrigues
Equilíbrio

Em termos de iluminação, é muito bom que ocorra um equilíbrio entre a luz natural e a artificial durante as atividades do dia a dia, de forma a trazer o conforto e o bem-estar de todos, de maneira eficiente e funcional, sem esquecer da sustentabilidade. Portanto, a dica é aproveitar ao máximo a luminosidade natural do lar e, então, complementar com as luzes artificiais nos momentos necessários.

Luminária de mesa | Projeto de Luciana Ballio e foto de Emerson Rodrigues/ Divulgação: Philips
Dimerização

Nesse ponto, também vale destacar que a dimerização (aumento e diminuição da intensidade de luz) pode ser uma ferramenta essencial para criar cenas exclusivas desde momentos de atenção ao de relaxamento. Portanto, investir em peças dimerizáveis ou automatizadas é uma boa pedida.

Pendentes em diferentes alturas no projeto do escritório Oliva Arquitetura | Foto de Emerson Rodrigues

Fique por dentro de nossas notícias na página do DecorStyle no Facebook ou no nosso site www.decorstyle.ig.com.br