Saiba como escolher a iluminação ideal para uma casa com bebês e crianças -

Saiba como escolher a iluminação ideal para uma casa com bebês e crianças

Saiba como escolher a iluminação ideal para uma casa com bebês e crianças

A boa luminosidade é fundamental para o desenvolvimento e bem-estar de bebês e crianças, ajudando em uma boa noite de sono e auxiliando no aprendizado dos pequenos.

A falta de luz, por outro lado, pode prejudicar a visão dos mais jovens, que acabarão forçando os olhos para enxergar melhor durante os estudos. Saiba como escolher a iluminação ideal para uma casa com crianças de diferentes faixas etárias.

Veja também:

Quarto do bebê

No caso dos recém-nascidos, priorize uma luz suave, deixando o ambiente sereno. O bebê ainda está em fase de adaptação ao meio e, portanto, é mais sensível à luminosidade. Uma boa opção é investir na dimerização, que permite o controle da intensidade de luz.

“Para quartos de bebês, algumas sugestões são iluminação indireta em paredes ou sancas com fitas ou arandelas, além das luminárias de piso ou abajures, pois trazem a luz indireta indispensável para um descanso tranquilo, bem como para momentos que não precisam de uma luz tão intensa, como o caso da amamentação”, aconselha Gabriela Yokota, especialista em design e tendência da Yamamura.

Veja também:

A especialista em iluminação também indica a instalação de pontos focais com pequenos spots. Mas alerta: longe do contato direto com o berço, poltrona de amamentação ou do trocador, evitando que, assim, a luz incida diretamente sobre o bebê.

Saiba como escolher a iluminação ideal para uma casa com bebês e crianças
Imagem: Emerson Rodrigues

Espaço da criança

Para as crianças maiores, as luzes de apoio – como luminárias de mesa e de piso – ajudam a criar um ambiente gostoso de leitura e estudos. “Além de direcionarem a luz para um ponto de foco específico, tornam o ambiente mais flexível”, recomenda Gabriela Yokota.

As luzes dimerizáveis também são boas opções para casas com crianças. Elas garantem melhor funcionalidade e maior eficiência energética, além de serem indicadas para todos os momentos de leitura. Quando o assunto é explorar a criatividade, aposte em peças que possuem um design mais lúdico e sejam interativas, como luminárias que mudam de cor.

Abajur
Imagem: Emerson Rodrigues

Temperatura de cor

Seja qual for a faixa etária do seu filho, a temperatura de cor mais recomendada é a branco quente (2400K a 3000K). Esse tipo de iluminação traz mais acolhimento ao espaço da casa e transmite tranquilidade para as crianças, evitando estresse e agitação.

Veja também:

“O uso de cores em alguns detalhes da decoração também é uma ideia interessante. Nesses casos, os tons pastel, como azul, salmão e verde, contribuem positivamente nos estímulos desses espaços”, diz a especialista da Yamamura.

Quanto ao efeito de luz, a dica é apostar em iluminações indiretas em áreas que necessitem de uma luz mais suave, luzes difusas para iluminação geral e pontos focais. E mais: evite adotar uma única solução luminotécnica, e explore abajures, arandelas, luminárias de piso, plafons e pendentes em vários locais do quarto e não somente no teto.

Fique por dentro de nossas notícias na página do DecorStyle no Facebook ou no nosso site  www.decorstyle.ig.com.br

Veja também

+ Mudaram as regras para compra de carro para PCD; veja como ficou

+ Carol Nakamura compartilha projeto de sua mansão de R$ 2 milhões; veja

+ 20 passos simples para dar uma cara nova para sua casa

+ Você acha Gracyanne Barbosa sarada? É quer nunca viu a médica Chinesa Yuan Herong

+ Relógio de R$ 3 milhões de Faustão é inspirado em supercarro da Bugatti; veja

+ Dicas fáceis de como limpar panela queimada

+ Enio Mainardi, publicitário e pai de Diogo Mainardi, morre de covid-19

+ Quarto feminino: 6 dicas que você precisa saber antes de planejar o seu

+ 4 passos fáceis para limpar o espelho com produto caseiro

+ Dançarina é condenada 3 anos de prisão por causa de vídeos no TikTok

+ Veja cinco coisas que provocam mau cheiro em cães e saiba como combatê-las

+ Fazer o bem alivia dores físicas e mentais, aponta estudo




arrow